28 julho 2007

A porta é a serventia da casa...

Tenho que confessar que foi com alguma surpresa que li a noticia que ontem saiu no Semanário, e que referia que Manuel Monteiro ponderava regresso ao CDS. Podem ler o artigo na íntegra, no Arestália.

Fez uma campanha sozinho para a câmara de Lisboa, para poder levar um bom resultado como trunfo no seu reingresso no CDS, o que não veio a acontecer (o bom resultado). Mesmo assim, parece que se vai aliar a Ribeiro e Castro para lutar contra Portas. Demitiu-se do PND, deixando um partido sem estrutura, porque ele nunca a quis implementar. Apenas ano e meio após a fundação do Partido se criaram os círculos eleitorais, por pressão das bases. E ainda por cima, no último Conselho Geral, no qual não pude estar presente, ele apontou uma agenda que deixará paralisado o partido durante 6 meses. Ora bem: O que ficou marcado para Setembro foi um novo conselho geral (sobre o qual já aviso que tenciono estar presente) para em Setembro se marcar o congresso para se eleger a nova direcção. Lá para Novembro, na melhor das hipóteses. Como os círculos políticos caíram com esta direcção, apenas lá para Janeiro estarão a funcionar normalmente. É caso para dizer: Ainda bem que ele se vai embora.

1 comentário:

pantera disse...

ENCONTRO NACIONAL DAS PANTERAS

É verdade, após um ano e meio de actividade incessante, sem tempo para respirar, as Panteras vão juntar-se e parar (nã!....) para conviver, mas sobretudo para pensar e repensar: a si próprias, ao que fazemos, ao que se tem passado à nossa volta, ao que está para vir. É o nosso primeiro encontro nacional, sendo que será também um pouquinho internacional, pois esperamos contar com a presença de panteras francesas e canadianas, e também activistas dinarmarquesas. Todos os pormenores (programa, inscrições, condições de alojamento e refeições, etc), estão disponíveis AQUI

Porém, não queremos enganar ninguém: este não é um encontro público - outras oportunidades teremos para fazer eventos abertos. É, de facto, um encontro DAS PANTERAS, para repensar e recompor forças. Isto tampouco significa que seja um evento fechado. Num movimento sem formalidades, "ser" pantera não significa ser membro, ter obrigações, estar inscrito ou ter cartão ou papel passado. Mas implica sentir-se pantera e querer agir. Dessas pessoas, as que conhecemos e as que estamos por conhecer, se fará este retiro felino. :)